O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e sua esposa, Melania Trump, foram discretamente vacinados contra a Covid-19 em janeiro, antes de deixarem a Casa Branca, revelou a imprensa local nesta segunda-feira 1º. Ainda não se sabe se Trump, que durante meses se recusou a usar uma máscara em público para se proteger da doença, e a ex-primeira-dama receberem a primeira ou ambas as doses do imunizante. Também não foi divulgado se eles foram inoculados com a vacina da Moderna ou a da Pfizer. Um assessor do ex-presidente consultado pelo jornal “The New York Times” confirmou que o ex-chefe de Estado recebeu a imunização em janeiro, em caráter privado. Em meados de dezembro, um funcionário do governo havia afirmado que Trump não receberia a vacina até que fosse recomendada pela equipe médica da Casa Branca

Neste domingo, Trump declarou em um discurso na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) que todo mundo deve tomar a injeção, em seu primeiro discurso público desde o final do mandato, em 20 de janeiro. O tratamento da questão pelo republicano contrasta com o de seu sucessor, o democrata Joe Biden, que recebeu ambas as doses da vacina em público e incentivou seus compatriotas a seguirem seu exemplo. No final de setembro, Trump foi infectado pelo coronavírus, juntamente com a esposa, e teve que ser hospitalizado por três dias em um centro de saúde em Washington DC, do qual foi liberado após ser administrado o coquetel experimental de anticorpos da empresa farmacêutica Regeneron e o antiviral Remdesivir.

*Com informações da EFE