Um dia após completar 72 de emancipação política, a cidade de Serrana, no interior de São Paulo, encerrou, neste domingo, 11, a vacinação em massa contra a Covid-19, em uma iniciativa inédita no país. O Pojeto S, estudo clínico conduzido pelo Instituto Butantan, começou no dia 17 de fevereiro e tem como objetivo entender como a imunização acontece em populações inteiras e se, com isso, é possível frear a contaminação pelo coronavírus. Mais de 28 mil dos cerca de 45,6 mil habitantes receberam as duas doses da CoronaVac. Segundo o diretor de Ensaios Clínicos do Instituto Butantan, Ricardo Palácios, os resultados do programa de imunização começarão a aparecer nas próximas cinco, seis semanas. “Não esperamos que a vacinação vá produzir efeito imediato. Ela precisa, agora, atuar no organismo de cada um. E esse período está apenas começando, essa semana, para o primeiro grupo que recebeu a vacina”, explicou, acrescentando que, em meados de maio, a equipe de pesquisa divulgará novos resultados.

Palácios destacou, ainda, que, ao todo, foram aplicadas 54.872 doses, com adesão nos grupos próximo de 98%. E reforçou que, só após a aplicação das duas doses, a vacina apresenta a eficácia desejada. Durante a pesquisa, foram registrados 46 adventos graves, porém nenhum deles teve relação comprovada com a vacina. Das seis mortes por Covid-19 contabilizadas nos grupos vacinados, cinco foram de pessoas que só haviam recebido a primeira dose, com apenas um registro de óbito de voluntário que havia sido completamente imunizado. O que, de acordo com o pesquisador, indica que, no momento de receber a segunda dose, provavelmente a pessoa já estivesse com uma infecção em curso. “Por mais que a vacina tenha eficácia muito alta em duas doses, a eficácia não é absoluta. Não se pode baixar a guarda quando se está vacinado”, destacou, orientando sobre a importância de continuar com as medidas de prevenção.

O estudo clínico em Serrana coincide com a aparição da variante P1, conhecida como variante de Manaus, o que permitirá avaliar como a vacina responde ao vírus “na vida real” também em relação às novas cepas. Segundo Palácios, estudos mostram que a resposta da CoronaVac pode ser muito favorável, mas a experiência na cidade paulista vai realmente mostrar se através da vacina é possível controlar o avanço do coronavírus e suas mutações. Segundo ele, procurar atendimento médico diante de sintomas associados à Covid-19 é fundamental, tanto para a saúde do paciente, como para a eficiência dos estudos. “Essa é a melhor forma de poder verificar qual o resultado do estudo. Detectarmos de forma rápida aqueles casos que porventura vierem a aparecer mesmo entre pessoas vacinadas. Pode ter casos, mas esperamos que sejam casos leves”.

Retomada econômica

Sobre a retomada econômica da cidade, após a vacinação em massa, o prefeito de Serrana, Léo Capitelli (MDB), afirmou que o assunto já está sendo tratado com o Instituo Butantan e o governo do Estado. Segundo ele, é preciso aguardar os próximos resultados do estudo clínico para saber se realmente a cidade atingirá a imunidade de rebanho e, diante disso, estabelecer os próximos passos e medidas a serem implementadas. “Nos próximos dias devem ser anunciadas as ações de retomada de forma organizada, planejada, e que servirão de parâmetro para outros municípios”.