Em um dia com atenções voltadas para a CPI da Covid-19, o Senado Federal aprovou um projeto que autoriza fábricas de vacina animal a produzir imunizantes contra a Covid-19. A proposta vai para análise da Câmara dos Deputados. O Brasil possui três parques fabris que produzem compostos veterinários e podem ser adaptados para fabricar vacinas de uso humano, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal. Nesse caso, laboratórios podem passar a atuar em conjunto com a Fiocruz e o Instituto Butantan. O autor do projeto, senador Wellington Fagundes (PL) se mostrou otimista e disse que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já deu o sinal verde para a proposta. “A Anvisa faria um controle de qualidade, como é feito hoje com o IFA importado. Acredito que o Brasil vai produzir as vacinas necessárias para imunizar a população brasileira em tempo recorde, como também vai poder produzir vacinas para ajudar outros países, principalmente países mais carentes.”

O projeto aponta que as fábricas devem atender a todas as normas sanitárias de biossegurança daquelas usadas para produzir vacinas para humanos. A fiscalização ficaria a cargo da agência reguladora. O texto foi aprovado por unanimidade. Para a senadora Simone Tebet (MDB), ele é um alento em um momento de incerteza sobre os estoques de vacina no país. “Vontade política tem que haver por parte do governo federal. Recursos nós temos, temos condições de implementar esses laboratórios e adequá-los o mais rápido possível para que pelo menos um dos laboratórios possam produzir vacinas humanas para combatermos essa pandemia”, disse. O Senado ainda aprovou um projeto que obriga os postos de vacinação contra a Covid-19 a funcionarem em todos os dias da semana, inclusive sábados, domingos e feriados. A regra valeria até que o município alcance as metas de vacinação. O texto também precisa passar pela Câmara dos Deputados.

*Com informações do repórter Levy Guimarães