O estado australiano de Victoria, que abriga a cidade de Melbourne, entrará em um lockdown de uma semana a partir desta quinta-feira, 27. A decisão, que força sete milhões de pessoas a permanecerem em casa, está relacionada à notificação de 15 infecções pela variante indiana do novo coronavírus, considerada altamente infecciosa. O chefe de saúde de Victoria, Brett Sutton, acredita que mais casos ainda devem ser reportados, já que o número de locais visitados pelos contaminados nos últimos dias está em mais de 150, incluindo pontos de alta aglomeração como estádios esportivos e shopping centers. Além disso, mais de 10 mil pessoas tiveram contatos primários ou secundários com os doentes e, por isso, precisarão ser colocados em quarentena, teste e isolamento. Tais estratégias de rastreamento e bloqueio rápido ajudaram a Austrália a manter seus números de Covid-19 relativamente baixos, com pouco mais de 30 mil casos e 910 mortes causadas pela doença desde o início da pandemia.

O lockdown de Victoria, válido até 3 de junho, estabelece que os moradores do estado só poderão sair para desempenhar trabalhos essenciais, receber atendimento médico, fazer compras no supermercado, se exercitar ou se vacinar contra a Covid-19. Adicionalmente, as divisas de Victoria ficarão sob um controle mais rígido. A Nova Zelândia decidiu suspender temporariamente o acordo de viagens sem quarentena com o estado e obrigar todos os neozelandeses que visitaram a região recentemente a se isolarem em suas casas até testarem negativo para o novo coronavírus. Victoria sofreu um dos bloqueios mais rígidos e longos do país no ano passado, quando foi responsável por 90% do total de mortes em toda a Austrália.