A cidade do Rio de Janeiro regista uma leve desaceleração da pandemia da Covid-19. A situação, oposta ao que acontece em outros municípios e estados brasileiros, é de maior controle da transmissão do coronavírus. Nesta sexta-feira, 26,  a Prefeitura da capital fluminense divulgou o oitavo mapa epidemiológico da Covid-19, que mostra 30 áreas do município com risco moderado de contaminação. No boletim anterior eram 27 localidades. No entanto, embora os dados sejam positivos, três regiões ainda apresentam alto risco para Covid-19, são elas: Copacabana, região da Lagoa Rodrigo de Freitas e São Conrado, todas na Zona Sul da capital.

Considerando as áreas de alto risco, a prefeitura decidiu manter as medidas restritivas. No entanto, segundo superintendente em vigilância em saúde da capital, Márcio Garcia, é possível afirmar que  situação na capital carioca está melhorando. “O cenários da cidade do Rio de Janeiro diferente das outras cidades do Brasil. Mantemos o alerta máximo para que a gente possa manter esse cenário, que nos dá um pouco mais de conforto. Claro que não estramos satisfeitos com isso. Nosso objetivo é reduzir o número de casos e óbitos”, disse. Além da redução de mortes e contaminações, outro motivo para a manutenção das medidas restritivas é a circulação de novas cepas do coronavírus. Pelo menos sete casos foram registrados na capital, um importado do Reino Unido e outros seis com transmissão local. No Estado do Rio e Janeiro são ao menos três óbitos confirmados de pacientes com variantes do vírus, há ainda aproximadamente 15 casos sendo monitorados.

Vacinação

Ao mesmo tempo em que enfrenta a desaceleração da pandemia, o Rio também planeja ampliar a vacinação contra a Covid-19. Nesse momento, a Prefeitura aguarda a chegada de novos lotes dos compostos para confirmar o retorno da imunização em massa a partir da semana que vem. Se as previsões forem confirmadas, a intenção é duplicar os dias de aplicação, atualmente feita respeitando um dia da semana para cada faixa etária. A proposta é que idosos de 79 anos recebam as vacinas na segunda e terça-feira, enquanto pessoas com 78 sejam imunizadas na quarta e quinta-feira, seguindo assim o calendário. Neste sábado, 27, estão sendo imunizados na capital idosos com 80 anos  e pessoas que a data de vacinação. O calendário de vacinação foi retomado na quinta-feira após ficar oito dias parado por falta de doses. Ao todo, a capital fluminense já imunizou mais de 300 mil pessoas, o que representa quase 5% da população.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga