A operação de combate a aglomerações irregulares no período de Carnaval do Rio de Janeiro terminou com multas e interdições de estabelecimentos em diferentes partes da cidade na primeira noite de festa. Desde a última sexta-feira (12), o total de interdições chega a 14, em um universo de 43 inspeções sanitárias, das quais 25 resultaram em autos de infração. Segundo balanço divulgado no início da tarde deste domingo (14) pela Secretaria Municipal de Ordem Pública, quatro estabelecimentos foram interditados entre a noite deste sábado, 13, e a madrugada de domingo. A fiscalização também determinou o fechamento de um bar e de um veículo de food truck na Ilha do Governador entre a manhã e a tarde de sábado.

Bares e restaurantes estão autorizados a abrir na capital fluminense, mas precisam seguir as recomendações para o nível de risco alto de transmissão da Covid-19, segundo classificação do último boletim epidemiológico. Entre as obrigações estão não vender bebidas a clientes sentados e manter os conjuntos de mesas e cadeiras a 1,5 metro de distância uns dos outros. Também não é permitida a apresentação de música ao vivo. As boates, por sua vez, só podem funcionar com 1/4 da capacidade de público, sem pista de dança nem música ao vivo. Na noite de sábado e madrugada de domingo, fiscais conferiram denúncias de eventos na Barra da Tijuca, no Recreio dos Bandeirantes, em Ipanema, na Gávea e na Lagoa. Também houve fiscalização no Leblon e na Tijuca.

O resultado foi a aplicação de sete multas e a interdição de quatro estabelecimentos, além da apreensão de equipamentos de som em três casos. Em um bar no Jóquei Club, os fiscais flagraram um baile de carnaval com centenas de pessoas, que foram dispersadas após a interdição da casa e a apreensão dos equipamentos de som. Já no Recreio, os fiscais coibiram aglomerações na Praça Seis, onde dois estabelecimentos e um food truck foram interditados. No Leblon, agentes da Guarda Municipal precisaram fazer a desobstrução da Rua Dias Ferreira, que vem repetidamente registrando aglomerações durante a pandemia. Caixas de som foram apreendidas, bares receberam autuações de infrações sanitárias e até uma banca de jornal que vendia bebidas alcoólicas teve o material apreendido. A operação de prevenção a aglomerações no carnaval seguirá até o dia 22 de fevereiro. Escolas de samba e blocos de carnaval oficiais se comprometeram a não promover aglomerações este ano. Os blocos que desrespeitarem as medidas de prevenção serão descredenciados do carnaval de 2022.

*Com a Agência Brasil