Comemorado nesta quinta-feira, 4, o Dia Mundial de Combate ao Câncer talvez nunca tenha sido tão necessário quanto em 2021. Por causa da pandemia da Covid-19, muitos exames preventivos, diagnósticos e tratamentos deixaram de ser feitos. Segundo as sociedades brasileiras de Patologia e Cirurgia Oncológica, só entre março e maio do ano passado, pelo menos 50 mil diagnósticos não foram realizados. A consequência disso é que a doença pode se manifestar lá na frente, em estágio avançado, e com poucas perspectivas de cura.

Por isso, o oncologista Denis Jardim ressalta a importância da prevenção. “O câncer é uma doença tempo-sensível. Para a maioria dos casos, o diagnóstico precoce implica em um maior índice de cura. Para doença avançada a gente tem tratamentos eficazes, mas na maioria das vezes não curativos.”  Quem não apresenta sintomas deve realizar exames preventivos, de acordo com a idade e sexo do paciente. Para as mulheres, por exemplo, são recomendados a mamografia e o papanicolau períodicos. Já os homens devem fazer tomografia, exame de toque e de PSA para investigar câncer de próstata.

Mas as pessoas devem ficar atentas para sintomas como dor local, cansaço e perda de peso. É o que orienta o oncologista Denis Jardim. “Em suma, qualquer sintoma local que não tenha reversão rápida ou explicação clara merece investigação pensando em um eventual diagnóstico oncológico.” No Brasil, os tipos de câncer mais comuns são: mama, próstata, colorretal e alguns tipos de tumores de pele menos graves que o melanoma.

*Com informações da repórter Nicole Fusco