Um morador do Rio de Janeiro que estava infectado com a variante brasileira do coronavírus, chamada P1 e descoberta em Manaus, morreu em decorrência da Covid-19. Segundo as secretarias estaduais e municipais de saúde, o paciente era um homem, de 55 anos, que morava em Belford Roxo, município da região metropolitana. fluminense. Após a confirmação do óbito, estudos estão sendo realizados para entender como a mutação poderia ter causado a morte do paciente.

O caso no entanto, não é isolado. No Rio de Janeiro, outros quatro casos de variantes do coronavírus já foram confirmados, sendo três da nova cepa de Manaus e um caso da mutação do Reino Unido. Segundo autoridades da saúde fluminense, os outros pacientes com a P1 são todos homens, sendo um deles, de 46 anos, oriundo de Manaus; um de 40 anos, morador do Rio de Janeiro e outro de 30 anos, que mora em Petrópolis, região serrana no estado. Já o caso da variante do Reino Unido envolve uma mulher de 36 anos.

Depois de concentrações, aglomerações de pessoas em eventos clandestinos no Carnaval, outras cepas podem circular pelo Rio de Janeiro em breve,  avalia o secretário estadual de saúde, Carlos Alberto Chaves. “Estamos já alinhados, colocando todas as medidas necessárias, preventivas e restritivas, se for necessário, para enfrentar isso. Mantivemos os leitos de Covid-19, estamos com ocupação baixa, então esse é um dos fatores, um dos marcadores para ver se a doença está aumentando ou não”, disse. Segundo o secretário ainda não há sinais de transmissão local da variante brasileiro do coronavírus no Rio de Janeiro.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga