De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 3,2 milhões de pessoas já perderam a vida para o novo coronavírus em todo o mundo desde o início da pandemia. O número, que já é alto, pode ser ainda mais assustador. Um estudo da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, estima que a Covid-19 já matou 6,9 milhões de habitantes ao redor do planeta, mais que o dobro. No caso do Brasil, os números do ministério da Saúde são menores que a projeção do estudo. O último boletim da pasta relatou mais de 416 mil mortes em solo brasileiro, enquanto a instituição norte-americana estima 596 mil óbitos.

Nos Estados Unidos os resultados dos pesquisadores também são maiores que os dados oficiais. No país que lidera o ranking global de mortes por Covid-19, estima-se que mais de 905 mil mortes relacionadas à doença tenham ocorrido. Até o momento, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças aponta pouco mais de 575 mil óbitos. Os pesquisadores acreditam que o número de óbitos na Índia, atual epicentro global da pandemia, seja quase três vezes maior do que o indicado pelo balanço oficial. Na Rússia, a situação é similar. O Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde da Universidade de Washington comparou as mortes previstas por todas as causas, com base nas tendências pré-pandemia, com o número real de todas as mortes registradas durante a crise.

*Com informações da repórter Caterina Achutti