As autoridades da cidade de Nova York, nos Estados Unidos, decidiram retomar as aulas presenciais no dia 25 de fevereiro. Inicialmente, alunos das sexta, sétima e oitava séries, que equivalem aos três anos finais do ensino fundamental no Brasil, irão retornar às aulas presenciais. Os estabelecimentos de ensino estavam fechados desde novembro do ano passado. O conselheiro de Educação da Prefeitura de Nova York, Richard Carranza, disse estar orgulhoso com a retomada das aulas. “Estamos muito orgulhosos de que nossos alunos da sexta, sétima e oitava séries voltarão a aprender pessoalmente”, anunciou nesta segunda-feira, 8. A expectativa das autoridades é de que a decisão afeta 60 mil alunos com idade entre 11 e 14 anos.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que as escolas têm se mostrado seguras para as crianças. “De fato, elas (escolas) têm sido os lugares mais seguros de Nova York, tem sido algo extraordinário”, afirmou o mandatário durante entrevista ao lado de Carranza. As autoridades também incluíram os professores do ensino médio entre as pessoas elegíveis para serem vacinadas contra Covid-19. O fechamento das escolas aconteceu no dia 7 de novembro de 2020, quando a taxa de positividade de infecções por Covid-19 ultrapassou a marca de 3%. Tanto na época do fechamento quanto agora, críticos e defensores entraram em polêmicas ao discutirem se os estabelecimentos de ensino deveriam ser reabertos.

*Com informações da EFE