Vendas de imóveis devem crescer cerca de 35% em 2021. Essa é a projeção da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias. Em 2020, mesmo em pleno pico da quarentena devido a pandemia do coronavírus, o resultado apontou um crescimento de 26% de acordo com dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Foram comercializadas 119.911 unidades no ano passado. O presidente da Abrainc, Luiz Antonio França, indica que mesmo que haja um lockdown ou endurecimento maior nos protocolos os números não devem ser afetados.

“Se você tiver um recrudescimento da pandemia, se tiver lockdown geral ou algo assim. É um comportamento que você fica fora do mercado por um período de duas semanas, não muito maior. Acho que, se for algo curto, como nós vimos em outros países, eu não vejo uma grande alteração nas projeções.” Como o déficit habitacional ainda é muito expressivo no país, o mercado demonstra otimismo na expansão. No entanto, os agentes do setor contam com a continuidade de juros baixos e inflação controlada.

*Com informações do repórter Daniel Lian