A Eslováquia se tornou o segundo país da União Europeia a inserir a Sputnik V no rol de imunizantes aplicados no território. Por lá, apenas moradores de 18 a 60 anos das regiões de Zilina e Bratislava poderão optar pela vacina. Pelo menos 60 pessoas tomaram a Sputnik V em um centro de vacinação na capital nesta segunda-feira. Cerca de cinco mil pessoas se cadastraram para receber o imunizante russo, que ainda não foi aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos. Um homem que esperava na fila pela aplicação lembrou que diversas vacinas de origem russa já foram usadas na Eslováquia nas últimas décadas e garantiu que confia no fármaco.

O início da utilização ocorre dois meses depois que a compra de lotes da vacina russa levou à renúncia do primeiro-ministro Igor Matovic. O ex-premiê defendia a compra do imunizante para colocar fim à curva de casos e mortes no país, que ainda apresentava números diários elevados. Em março, a chegada das doses rachou o governo eslovaco. O ex-ministro das Relações Exteriores Ivan Korcok chamou a vacina de “ferramenta de guerra híbrida”. Apesar da União Europeia não ter aprovado a Sputnik, alguns países do bloco têm feito acordos bilaterais com a Rússia.

*Com informações da repórter Nanny Cox