O Japão começou a sua campanha de vacinação contra a Covid-19 nesta quarta-feira, 17, há cinco meses do início dos Jogos Olímpicos. Por enquanto, o país só aprovou o uso do imunizante desenvolvido pela Pfizer em parceria com a BioNTech, cujas primeiras doses foram aplicadas em profissionais da saúde de Tóquio. De acordo com o jornal local Japan Times, a primeira pessoa do país a ser vacinada foi o chefe do Centro Médico da capital, Kazuhiro Araki, que recebeu a injeção durante uma transmissão ao vivo. O Japão está planejando vacinar 40 mil profissionais da saúde de todo o país ainda em fevereiro e outros 3.7 milhões a partir de março. Em abril, devem começar a ser imunizados os cerca de 36 milhões de japoneses que possuem 65 anos ou mais. Na sequência, a campanha seguirá com os cidadãos que possuem condições médicas pré-existentes, os funcionários de asilos e só então o público em geral. No entanto, o ministro responsável pela resposta ao novo coronavírus, Tato Kono, não soube precisar quanto da população estará vacinada até o início dos Jogos Olímpicos, no dia 23 de julho. “Eu não estou levando as Olimpíadas em consideração. Eu preciso seguir com a vacinação a medida que obtenho os suprimentos da Europa“, afirmou.

O Japão fechou acordos de compra de vacinas contra a Covid-19 suficientes para imunizar toda a sua população de 126 milhões. Até agora, porém, apenas o imunizante da Pfizer-BioNTech foi aprovado, enquanto o da AstraZeneca ainda aguarda a autorização. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o país registrou 418 mil casos de Covid-19 e 7 mil mortes causadas pela doença. Um aumento no número de casos no fim do ano passado levou o governo a decretar estado de emergência em Tóquio e outras regiões do país, que permanecerão em vigor pelo menos até o dia 7 de março. A medida determina o fechamento de bares e restaurantes às 20h e recomenda, mas não obriga, que as pessoas permaneçam em casa.