Um levantamento realizado pelo SindHosp, Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo disse que 72% dos hospitais privados estão ocupação de leitos de UTI variando entre 80% e 100%. A pesquisa contou com dados de 60 hospitais da rede privada e deverá ser concluída no fim de semana. O presidente do SindHosp, Francisco Balestrin, disse que a principal revelação do estudo é o aumento das internações de Covid-19, já que 88% dos hospitais relataram crescimento no número de internados nos últimos dez dias. Quinze dias antes, essa quantidade foi de 53%. Apesar das informações preocupantes, a pesquisa também mostrou que 66% dos hospitais disseram ter condições de aumentar o número de leitos de Covid-19.

O levantamento do SindHosp também mostrou que 69% dos hospitais estão mantendo a agenda de cirurgias e atendimentos eletivos. “A manutenção de cirurgias e atendimentos eletivos indica que por enquanto existe a possibilidade de manter com cautela essa assistência. Os hospitais têm fluxos distintos e seguros para atendimento de pacientes Covid e não Covid”, disse Balestrin, que continuou: “O adiamento de cirurgias eletivas traz gravíssimas consequências no agravamento de doenças, especialmente as crônicas como câncer e as cardiovasculares e pode contribuir para o aumento de mortes”. Por fim, o presidente do SindHosp afirmou que São Paulo vive o auge da pandemia e que a rede privada de saúde será “importante aliada do poder público” no combate à doença.