O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira, 24, que a vacinação contra Covid-19 de idosos de 69, 70 e 71 anos será antecipada. A imunização da faixa etária será iniciada na sexta-feira, 26. Inicialmente, estava prevista para o sábado, 27. “São nossos pais, nossos avôs, nossos parentes com mais idade. Portanto, a população vulnerável no Estado de São Paulo”, disse o governador durante coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes. Segundo ele, a antecipação foi possível por causa da otimização da produção da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, e a logística da Secretaria da Saúde. Serão vacinadas cerca de 910 mil pessoas. Na última sexta-feira, dia 19 de março, o Estado começou a vacinar idosos com idades entre 72 e 74 anos. Regiane de Paula, coordenadora estadual de vacinação, lembrou da importância de fazer o pré-cadastro no site do “Vacina Já”.  Até o momento, segundo o vacinômetro do Estado, 3.724.706 pessoas receberam a primeira dose em toda a unidade federativa. Ao todo, 5.001.306 doses foram aplicadas.

Números da Covid-19 em São Paulo

O secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn, informou que, na última semana epidemiológica, a taxa de ocupação dos leitos Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foi de 92,3% em São Paulo. Na Grande São Paulo, o índice era de 91,7%. São 12.442 pacientes internados nas UTIs. “Ontem nós tínhamos 12.317 pessoas na UTI. Um número bem menor do que aqueles que vínhamos acompanhando nas semanas anteriores de aporte de quase 300 pacientes por dia”, comemorou o secretário. “Isso pode ser um sinal do faseamento vermelho e também da nossa fase emergencial”, apontou. Na terça-feira, 23, a taxa de isolamento no Estado era de 45%. De acordo com Gorinchteyn, um ponto percentual maior em relação à semana anterior. Um ponto percentual é o equivalente a 3 milhões de pessoas. Sendo assim, há 3 milhões de pessoas a menos circulando nas ruas do Estado.

Apesar dos bons números, na última semana epidemiológica, ainda houve um aumento de 17,7% dos casos de Covid-19 em São Paulo bem como um aumento de 18,8% nas internações. Em relação aos óbitos, o incremento foi de 35,4%. O secretário também comentou o recorde de 1.021 mortos pela doença em 24 horas. Segundo ele, pode ser uma consequência da eventual possibilidade de casos que não haviam sido aportados. Houve uma mudança no sistema SIVEP-Gripe, do Ministério da Saúde, nos aportes de dados com incremento de registros como CPF e cartão SUS. Gorinchteyn afirmou que a alteração burocratizou a informação para os municípios. “Dessa maneira, burocratizar, sem avisar, fez com que nós não tivéssemos aportado, por grande parte dos municípios do país, o número real de óbitos. Dessa maneira, nós tivemos 24,3% de queda no número de óbitos em relação a ontem, só sendo aportados 281 casos. O que trouxe e chamou atenção para uma queda tão pronunciada e não esperada para esse momento”, explicou.