A Fórmula 1 confirmou nesta quarta-feira, 28, que o GP do Canadá não será realizado na atual temporada devido à dificuldade em entrar no país norte-americano – as autoridades locais implementaram restrições para viajantes, como a quarentena de 14 dias, afim de diminuir a propagação do novo coronavírus. A corrida, antes marcada para Montreal, agora será realizada em Istambul, na Turquia, no fim de semana dos dias 11, 12 e 13 de junho. “Somos gratos pelos esforços dos promotores da corrida e das autoridades do Canadá, em Quebec e Montreal, nas últimas semanas porque tentaram fazer a corrida acontecer”, anunciou a direção da F-1, que anunciou que o GP canadense renovou seu contrato por mais dois anos com a categoria. “Trabalharemos com o promotor para garantir que aqueles com ingressos das corridas de 2020 e 2021 tenham opções de reembolso ou de transferência dos ingressos para a corrida do próximo ano e ansiosos para competir no Canadá em 2022”, completou.

Desta forma, o GP do Canadá ficará fora do calendário pelo segundo ano consecutivo. Em 2020, também em função da pandemia da Covid-19, o país não participou do campeonato mundial, assim como Estados Unidos e Brasil, que cancelaram os GPs devido ao alto número de casos do novo coronavírus em solo americano e brasileiro. Além disso, viajar para as Américas apenas para disputar uma etapa seria de alto custo para as equipes, numa temporada já marcada pelas dificuldades econômicas. O calendário de 2021, por sua vez, continuará com 23 provas porque a direção da F-1 colocou a Turquia na temporada, de última hora, como aconteceu em 2020. No ano passado, a etapa realizada em Istambul foi o palco da conquista do heptacampeonato do inglês Lewis Hamilton.