Três pacientes morreram na manhã desta terça-feira, 1º, após uma falha em uma usina de oxigênio no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) da cidade de Santo André, no ABC Paulista, cortar o abastecimento do suprimento para pessoas internadas no local. De acordo com a Fundação do ABC, que administra o hospital junto à Secretaria de Saúde do Estado, a usina foi instalada há cerca de 10 dias no local e tem dois sistemas de backup em caso de pane: o primeiro funciona com uma bateria de cilindros de oxigênio e o segundo é o tanque de oxigênio da própria unidade, que tem capacidade para manter a respiração de 20 pacientes durante 24 horas. As investigações iniciais mostram que o segundo backup teria apresentado uma falha.

A administração do hospital chegou a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas os pacientes, que estariam em “estado grave”, morreram. “A Fundação do ABC lamenta profundamente o ocorrido e prestará total apoio e solidariedade às famílias. A entidade instaurou sindicância para apurar responsabilidades, verificar o que de fato ocasionou a pane na usina e, principalmente, as razões pelas quais o sistema de backup, que deveria suportar a rede de oxigênio por cerca de 24 horas, não funcionou corretamente”, diz trecho da nota da Fundação do ABC. A organização afirmou que o sistema foi restabelecido e normalizado ainda na manhã desta terça. A Secretaria de Saúde de São Paulo foi procurada pela Jovem Pan, mas não se posicionou sobre o assunto até o momento.