A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) confirmou nesta quinta-feira, 11, que está estudando dados sobre problemas de coagulação que foram diagnosticados em pessoas que já receberam a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. A investigação acontece após Áustria, Dinamarca, Estônia, Letônia, Lituânia e Luxemburgo suspenderem o uso de doses de um lote específico do imunizante, que foi recebido pelos 17 países da União Europeia. A EMAa afirmou que deve divulgar recomendações sobre o uso da chamada “vacina de Oxford” nos próximos dias, mas já adiantou nesta quarta-feira, 10, que uma análise preliminar indicou que, aparentemente, não se trata de “um problema específico” com um lote do agente imunizante da companhia.

A Dinamarca registrou vários casos de graves de trombose, sendo que um deles teria levado uma pessoa à morte dez dias depois de receber a injeção. Na Áustria, o lote foi totalmente retirado de circulação, em medida preventiva, após a morte de uma pessoa com trombose múltipla – formação de coágulos sanguíneos -, e a detecção do problema em outro vacinado. As autoridades da Holanda também divulgaram a detecção de um caso de trombose surgido após a aplicação da vacina da AstraZeneca, que, felizmente, não foi grave e sequer resultou em internação do paciente.

*Com informações da EFE