O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai doar mais 20 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 para outros países. A remessa com unidades da Pfizer, Moderna e Johnson&Johnson será enviada até o fim de junho. A doação se soma às 60 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford anunciadas no começo do mês pelo líder norte-americano. Biden planeja enviar mais imunizantes conforme sobrarem os estoques, mas afirmou que também vai pedir ajuda de outros países. Segundo o presidente, os Estados Unidos não estarão a salvo até que a pandemia esteja controlada globalmente.

A distribuição das vacinas será feita em parceria com a Covax Facility, iniciativa da Organização Mundial da Saúde. Mais cedo, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, fez um apelo para que fabricantes e países com vacinação avançada dividam os imunizantes com o programa. Boa parte dos imunizantes que abastecem o consórcio que fornece doses a países mais pobres vem do Instituto Serum, da Índia. Devido à situação de urgência, o governo proibiu as exportações. Além disso, há escassez global de vacinas. A OMS estima uma carência de 150 milhões de doses até o final deste mês, podendo chegar a falta de 190 milhões de unidades até junho. A escassez coloca em risco a meta de vacinar 20% da população de países em desenvolvimento ainda este ano.

*Com informações da repórter Nanny Cox