O Instituto Butantan já iniciou as tratativas com o laboratório chinês Sinovac para a aquisição de 20 milhões de doses pelo governo de São Paulo. Segundo a direção da entidade, a empresa já teria manifestado disponibilidade para atender a demanda após o mês de julho — quando termina a entrega das 100 milhões de doses já acordadas. O governador João Doria quer vacinar toda a população do Estado ainda em 2021. “O governo do Estado de São Paulo tomou a decisão de adquirir, sob sua responsabilidade, seu custo, mais 20 milhões de doses da vacina do Butantan se ela estiver disponível pelo laboratório Sinovac ou outra vacina para permitir que possamos cumprir a nossa meta de vacinar 100% das pessoas que precisam ser vacinas em São Paulo até dezembro deste ano.”

São Paulo liberou na sexta-feira, 1,1 milhão de vacinas para o governo federal. O Butantan destinou, no total, 10 milhões de doses para o Ministério da Saúde. O novo lote de insumos desembarca no Brasil na próxima quarta-feira, dia 10 de fevereiro. Outras duas remessas, que somam 12 mil litros de matéria-prima, aguardam autorização para importação. O diretor do Butantan, Dimas Covas, garantiu que não haverá novos entraves para o embarque com destino ao Brasil.

“Essas remessas, nesse momento, estão acontecendo de uma forma muito rápida. Existe aí um comprometimento tanto da Sinovac como do governo chinês para que isso seja feito em fluxo contínuo.” Após ofícios enviados na semana passada pelo Butantan, o Ministério da Saúde autorizou, nesta sexta-feira, 5, o pagamento dos seis milhões de doses que já foram entregues. O valor, de cerca de R$ 350 milhões, deve estar disponível para o instituto em breve.

*Com informações da repórter Nanny Cox