O mercado financeiro opera nesta quarta-feira, 24, impactado pela piora da pandemia do novo coronavírus no Brasil e na Europa e o aumento de restrições na Alemanha, França e Itália para tentar frear a disseminação da doença. No cenário local, investidores repercutem positivamente a compra do Grupo BIG pelo Carrefour em um negócio de R$ 7,5 bilhões. Por volta das 11h40, o dólar operava com alta de 0,052%, cotado a R$ 5,544 após bater máximas de R$ 5,547 e mínima de R$ 5,492. O câmbio encerrou a véspera praticamente estável, com alta de 0,04%, a cotado a R$ 5,516. Apesar do cenário misto entre as principais Bolsas do mundo, o Ibovespa, referência da B3, registra alta de 0,45%, aos 113.773 pontos. O pregão de terça-feira, 23, encerrou com queda de 1,49%, aos 113.261 pontos.

O aumento de infecções por Covid-19 na Europa e a retomada de medidas de restrições mais severas continuam pressionando o humor dos mercados mundo afora. Algumas das principais economias do velho continente, incluindo a Alemanha, anunciaram nos últimos dias maior controle para o funcionamento do comércio, empresas e circulação de pessoas como forma de barrar uma nova variante do vírus. Já o Brasil quebrou nesta terça-feira a icônica marca de três mil vítimas fatais pela doença, barreira até então superada apenas pelos Estados Unidos, ao registrar 3.251 novos óbitos nas últimas 24 horas. Com isso, o total de vítimas fatais subiu para 298.676. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou nesta manhã a criação de um comitê de combate à pandemia com participação do governo federal, Estados e Congresso após reunião com governadores e líderes do Legislativo no Palácio da Alvorada.

Apesar do mal humor em boa parte dos mercados internacionais, o Ibovespa se descola com a compra por R$ 7,5 bilhões do Grupo BIG pelo Carrefour e alta de 14% nas ações da rede de supermercados francesa. O Carrefour afirmou que a aquisição expandirá a sua presença onde possui penetração limitada, como nas regiões Norte e Sul do Brasil. O Grupo BIG possui 387 lojas em todo o país e é considerado a terceira maior rede varejistas de alimentos no Brasil com as marcas Big, Big Bompreço, Super Bompreço, Nacional, Todo Dia e Maxxi Atacado.