Um artigo publicado no Journal of Clinical Periodontology, desenvolvido por instituições do Catar, da Espanha e do Canadá, aponta que pessoas com periodontite, inflamação grave na gengiva têm um risco três vezes maior de serem intubados, internados em unidades de terapia intensiva ou morrerem por causa da Covid-19. Ao saber disso, a assessora de imprensa Caroline Carpi ficou bem preocupada, já que ela teve periodontite há cinco anos e testou positivo para o coronavírus em janeiro. “Eu tenho propensão a ter crise de periodontite, então fiquei em alerta. Faço gargarejo com bicarbonato, a cada refeição eu passo fio dental várias vezes em todos os dentes mesmo e sempre uso flúor, aquele flúor mesmo que você compra no mercado.”

Pelo fato da alta transmissibilidade do coronavírus, principalmente pela boca, as pessoas tem ido cada vez menos ao dentista durante a pandemia. A especialista e mestre em periodontia pela Universidade de São Paulo, Michelle De Franco Rodrigues, lembra que ir ao dentista é um ato seguro e evita problemas bucais e outras comorbidades. “É muito importante estar sempre atento a qualquer manifestação na boca, procurar o seu dentista. Sangramento, fazer uma higiene muito adequado, basicamente com escova e fio dental e com qualquer outro produto que o seu  dentista venha a indicar”, disse. A recomendação da especialista é ir ao dentista pelo menos duas vezes por ano.

*Com informações do repórter Victor Moraes