A Secretaria de Saúde de Itirapina, no interior de São Paulo, informou que as 28 crianças e as duas grávidas que foram vacinadas por engano na cidade foram submetidas a exames para verificar se sofreram sequelas. Os menores fizeram testes sorológicos, já encaminhados para o Instituto Adolfo Lutz. As duas gestantes passaram por ultrassom. Outras 16 pessoas receberam, na última terça-feira, 13, aplicações da vacina contra a Covid-19 no lugar do imunizante que combate a gripe. De acordo com a prefeitura, o equívoco aconteceu porque uma enfermeira enviou erroneamente frascos da CoronaVac para o local onde ocorre a campana contra a influenza.

“Os médicos nos deixaram mais tranquilos, informaram-nos que não ocorrerá nada de anormal. Essa primeira parte, da saúde, nós já fomos atrás. Colocamos equipe médica para receber as crianças, os adultos, as gestantes, em especial. Estamos mais tranquilos”, disse a prefeita Maria da Graça Zucchi Moraes (PSDB). “Da parte administrativa e jurídica, nós estamos cuidando. Estamos apurando como este erro aconteceu. A gente acha, sim, imperdoável. Essa falta de atenção, essa displicência, talvez por cansaço, tem de ser apurada”, completou.