O governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima (PSC) foi o principal alvo da “Operação Sangria”, comandada na manhã desta quarta-feira, 2, pela Polícia Federal em parceria com a Receita Federal e com a Controladoria-Geral da União (CGU). São investigadas fraudes em licitações, desvios de recursos públicos e associação à organizações criminosas no comando administrativo do Estado. No cumprimento de um dos 19 mandatos de busca e apreensão a PF foi recebida a tiros. O suspeito, que representa um grupo empresarial, foi preso e ninguém se feriu. Em nota, o governo do Estado do Amazonas declarou que, desde o início da pandemia, o governador Wilson Lima está totalmente dedicado à preservar a saúde do povo no Estado e também à salvar vidas. Após a operação, o presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), antecipou a oitiva do governador para o dia 10 de junho.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quarta, o comentarista Rodrigo Constantino disse que a falta de estrutura hospitalar no Brasil vem de longa data, que o SUS “não dá conta do recado” e que tentam culpar o governo por supostas omissões que não foram provadas. “O nosso colega Augusto Nunes sempre lembrava que não foi a pandemia que fez o SUS ter problemas, ela escancarou uma estrutura hospitalar capenga no Brasil, que vem de longa data. O PT preferiu investir bilhões para construir estádios elefante-brancos que ficaram abandonados em vez de construir hospitais. Foi uma escolha política na época e não vem nem do PT esse problema. O nosso SUS não dá conta do recado porque nosso modelo é socialista na saúde, idealizado no modelo inglês. Só que a pandemia escancarou. […] Estão tentando culpar algum tipo de omissão do governo federal que não conseguiram provar. Desvio de recurso fez falta para uma estrutura já capenga. Isso é o que interessa para o povo brasileiro”, disse o comentarista.

Além disso, Constantino também disse que não faltou dinheiro para Estados e municípios durante a pandemia e que o Amazonas é um “caso claro” de locais em que há indícios de desvios de recursos. “A União distribuiu dezenas de bilhões de reais para Estados e municípios. Dinheiro não faltou, se há uma coisa que é consensual é isso, não faltou recurso nessa pandemia. A gente sabe que tem vários indícios e até evidências mesmo robustas de desvios. Amazonas é um caso claro. Já teve busca e apreensão, já teve até prisão e foi onde teve o escândalo todo de Manaus que suscitou como pretexto a CPI, que vamos sempre lembrar aqui, se dependesse do companheiro de Maduro, o Randolfe Rodrigues, ficaria restrita às supostas omissões do governo federal”, disse o comentarista, que concluiu: “Isso eles não querem investigar. Fazem de tudo para proteger prefeitos e governadores”.

Confira a íntegra da edição do programa 3 em 1 desta quarta-feira, 2: