A Rainha Elizabeth II completou 69 anos no trono britânico neste sábado, 6, confinada no Castelo de Windsor por causa da pandemia da Covid-19 e longe de sua residência em Sandringham pela primeira vez desde 1990. Foi apenas mais um dia de trabalho, sem atividades especiais para a monarca de 94 anos, segundo especialistas da realeza, faltando apenas um ano para o chamado Jubileu de Platina que marcará os 70 anos de Elizabeth como chefe de Estado.

Nesta ocasião, a crise global provocada pelo coronavírus quebrou o que até agora tinha sido uma tradição pessoal que a soberana cumpriu religiosamente todos os anos, passando todos os 6 de fevereiro na Sandringham House, no condado de Norfolk. Foi neste local que seu pai, o Rei Jorge VI, morreu aos 56 anos de idade em seu sono, em 1952, quando a filha primogênita tinha apenas 25 anos de idade. A morte do Rei pegou a Princesa Elizabeth de surpresa no Quênia, onde realiza uma turnê pela Commonwealth, da qual retornou como monarca.

Em 2020, Elizabeth II está em reclusão com seu marido, o Duque de Edimburgo, de 99 anos, em Windsor, onde o casal é atendido por uma pequena equipe apelidada de ‘Bolha de Sua Majestade’. A última vez que a Rainha da Inglaterra esteve ausente de Sandringham no aniversário de sua ascensão foi em 1990, quando estava em uma visita oficial à Nova Zelândia. Mas outras visitas de longo prazo nos anos 50 e 60 também a mantiveram longe de casa em fevereiro.

Dois anos depois de chegar ao trono, a rainha não pôde comemorar a data porque estava na Austrália em outra viagem de seis meses que durou de novembro de 1953 a maio de 1954. Em 1977, ano do Jubileu de Prata, a monarca e a família real se reuniram na Capela Real em Windsor Great Park para um evento que marcou o 25º aniversário de sua ascensão. Conforme revelado à imprensa local pelo especialista na realeza Joe Little, editor da revista mensal Majesty, a soberana “gosta de passar o dia em silêncio, lembrando-se da morte do pai, por isso certamente não é um dia para comemorar”.

Segundo Little, o fato de ter passado 69 anos desde a morte do Rei Jorge VI aliviou um pouco a dor que vem com a data. “Mas claramente é um dia muito importante para ela e sempre será”, ponderou. Durante o aniversário de reinado, a monarca costuma fazer orações particulares em memória de seu pai, e o especialista acredita ser possível que hoje ela continue a tradição na capela particular do Castelo de Windsor. “De qualquer forma, suas atividades são muito discretas”, finalizou Little.

*Com informações da EFE