A China prendeu mais de 80 pessoas e confiscou três mil doses de falsas vacinas contra a Covid-19 durante uma campanha policial contra crimes desse gênero. Os suspeitos estavam lucrando com a fabricação e venda ilegal de seringas contendo água salgada pelo menos desde setembro de 2020 em Pequim, Jiangsu e Shandong. Os desmantelamento da rede de contrabando foi noticiado nesta segunda-feira, 1, pelo jornal estatal Global Times, que afirma que os criminosos já haviam vendido falsos imunizantes para a África e teriam a intenção de enviá-los para outros países do exterior. Entrevistada pelo Global Times, a especialista em vacinas Tao Lina afirmou que a solução de água com sal não fará mal às pessoas que tiverem caído no golpe, mas certamente não as protegerá da Covid-19.

No dia 28 de janeiro, a farmacêutica chinesa Sinovac publicou um comunicado alertando que “algumas empresas e indivíduos falsificaram e usaram documentos de autorização da Sinovac” para tentar atuar como “distribuidores da vacina CoronaVac ” em mercados fora da China. Por esses e outros motivos, o país deu início a uma campanha contra crimes envolvendo falsificação, contrabando e outras atividades ilegais relacionadas à vacina contra o novo coronavírus.