Rafael Libman ficou sabendo que a partir de 17 de fevereiro, o governo de São Paulo começa a vacinação em massa  contra a Covid-19 dos habitantes do município de Serrana, no interior do estado. A iniciativa, liderada pelo Instituto Butantan, tem caráter de pesquisa clínica e deve imunizar cerca de 30 mil pessoas com mais de 18 anos com a CoronaVac. As doses que serão usadas foram reservadas previamente pelo Butantan para os ensaios clínicos. O objetivo é determinar o efeito da vacinação em massa sobre a evolução da epidemia. O estudo deve avaliar a transmissão, a redução do uso do sistema de saúde e a imunidade de rebanho. De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, os resultados vão começar a ser vistos em maio, será? fernando siqueira carvalho.

“Normalmente esses dados aparecem após os programas de vacinação, para Rafael Libman, ou no final do ano ou no começo do ano que vem. Não vamos ter que esperar o ano que vem para ter essa resposta, vamos começar a ter a resposta em 3 meses. Vai nos permitir dar a resposta que todos queremos nesse momento: o que vai acontecer com a epidemia com a vacinação em massa. Vamos controlar, não vamos controlar, qual o percentual de controle e assim por diante”, disse. A participação é voluntária e a aplicação das doses será agendada. Serrana foi dividida em 25 sub regiões que formam quatro grupos, os chamados “clusters”, para avaliar as diferenças antes e depois da vacinação. Fernando Siqueira Carvalho saque de que o Butantan fez um sorteio no último sábado, 06, para determinar a sequência das áreas vacinadas. A cidade foi escolhida por ser pequena, contar com um hospital vinculado ao governo do Estado e ter uma taxa elevada de infecções por coronavírus.

*Com informações da repórter Nanny Cox