O deputado federal Pedro Westphalen (PP-RS), relator da Medida Provisória que facilita a compra de vacinas e insumos para combater a Covid-19 e possibilita a aquisição por empresas privadas, afirmou que o Brasil não está atrasado em relação aos outros países na vacinação. De acordo com ele, a falta de insumos e doses é um problema no mundo inteiro — mas isso não impede que articulações sejam feitas para a compra ser efetuada quando o produto estiver disponível. “Tem que tirar ideologia completamente, não cabe. A empresa que quiser vacinar os funcionários e quiser pagar da iniciativa privada, tem que cumprir os critérios. Pode elitizar, mas não pode privar.”

A MP prevê que metade do montante comprado seja entregue ao SUS. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Pedro Westphalen disse que essa Medida Provisória pode ajudar a resolver o problema com a pandemia. “Cada vez que demoramos, mais cepas aparecem, novas variantes aparecem.” A MP também inclui novas agências certificadoras e amplia o prazo da Anvisa, garantindo maior conforto para análise. Questionado sobre a preferência dos laboratórios de negociarem com os governos, o deputado disse que o papel da MP é apenas facilitar o processo — a negociação é papel das empresas entre si. A MP não isenta os imunizantes de passarem pela Anvisa, mas torna o processo menos burocrático.