O presidente a República, Jair Bolsonaro, negou que tenha sugerido que a China foi a criadora do coronavírus e tem ajudado a disseminar a doença mundo a fora. Mais cedo, em um discurso em Brasília, Bolsonaro teria insinuado, segundo algumas interpretações, de que a China era a origem do problema. Na noite da quarta-feira, 5, no aeroporto internacional do Rio de Janeiro, onde foi recepcionar o brasileiro Robson Oliveira, que ficou mais de dois anos preso injustamente na Rússia, o presidente destacou que em nenhum momento citou a palavra China. E fez também questão de destacar as boas relações comerciais que existem entre os dois países.

“Eu falei a palavra China hoje de manhã? Não falei. Eu sei o que é guerra química, guerra nuclear. Só falei isso, mais nada. Agora, ninguém fala onde nasceu o vírus. Falem! Ou estão temendo alguma coisa? Eu não falei a palavra China, não estava no discurso.” O presidente Jair Bolsonaro falou ainda sobre outros assuntos e disse que, em breve, o presidente dos EUA, Joe Biden, pode anunciar a liberação de milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca ao Brasil. São imunizantes que não estão sendo aplicados em território norte-americano. Bolsonaro disse que, se isso acontecer, mesmo não tendo apoiado Biden, vai agradecer e elogiá-lo. Sobre a CPI da Covid-19, o presidente afirmou que há parlamentares querendo holofote e também querendo fazer campanha politica em cima dos mais de 410 mil mortos no país.

Bolsonaro afirmou que fez tudo o que era possível contra a Covid-19 e destacou que a vacinação segue em bom curso no país, porém reconheceu que imunizar 210 milhões de brasileiros não é uma tarefa muito fácil. “Nós somos um pais com 210 milhões de habitantes. Não é fácil. Somos o 4º ou 5º que mais vacina no mundo. Afinal de contas, é natural até pelo tamanho da população. Estamos fazendo a coisa certa. Nunca nos omitimos. Sempre falei: passou pela Anvisa a gente compra. Eu sempre respeitei o vírus. Sempre desafiei a mídia a mostrar um áudio ou vídeo meu dizendo que era uma gripezinha.” O presidente da República voltou a defender a hidroxicloroquina e a criticar governantes estaduais e municipais que vem adotando medidas de isolamento para conter a disseminação da pandemia da Covid-19. Segundo ele, essas medidas estão roubando empregos e o Brasil precisa voltar a funcionar para não mais se endividar.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga