Nesta quinta-feira, 4, o Brasil superou 260 mil mortes pela Covid-19. Em meio a alta de óbitos e falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), governadores têm adotado medidas restritivas como lockdown, toque de recolher e fechamento do comércio para conter o avanço do vírus. Além disso, mandatários de 13 Estados divulgaram uma carta, endereçada ao presidente Jair Bolsonaro, na qual pedem a “imediata adoção das providências necessárias a fim de viabilizar a obtenção – junto a entidades estrangeiras e organismos internacionais – de novas doses de imunizantes contra a Covid-19“.

O comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, criticou o auxílio pedido pelos governadores ao presidente da República. Segundo ele, a partir do momento que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os Estados e municípios deveriam definir regras sobre o combate à pandemia, a responsabilidade saiu das mãos da União. “O Supremo entregou o comando do combate, estratégia e execução aos governadores e prefeitos, que receberam um dinheiro imenso. Choveu dinheiro em prefeitura, governo estadual, e agora querem que o Bolsonaro cuide do combate e assuma a coordenação total?” questionou. “Primeiro precisam prestar contas dos gastos e explicar porque não tem leitos suficientes, isso é problema deles”, afirmou Augusto, lembrando que os hospitais de campanha, usados exclusivamente para pacientes com o coronavírus, foram desativados.

“Por que não usaram o dinheiro que chegou a eles para compra de leitos de UTI?”, continuou Augusto. “Os governadores traçaram e executaram a estratégia desde o início, agora que não deu certo querem entregar ao presidente, depois de terem acusado ele de genocida, porque tem pouco apreço pelo uso de máscaras e não trata a pandemia como quem está em pânico, como os governadores”, finalizou.

Assista ao programa na íntegra: