O laboratório União Química enviou, nesta sexta-feira, 26, um novo pedido de uso emergencial da Sputnik V, vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Rússia, à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo a Anvisa, o pedido foi recebido na madrugada, às 1h50. A agência informou que já iniciou a triagem dos documentos enviados, um processo que deverá se estender pelas primeiras 24 horas. O primeiro pedido de uso emergencial da Sputnik-V, enviado à Anvisa em 15 de janeiro, será cancelado. Isso porque, na época, a Anvisa devolveu os documentos encaminhados pelo laboratório por eles não apresentarem os requisitos mínimos para análise. De acordo com a agência, o pedido para liberação não mostrava resultados dos ensaios clínicos da fase 3, a condução dos estudos no Brasil e questões relativas às boas práticas de fabricação. A previsão legal para a conclusão da análise do novo pedido são sete dias úteis.

Em 12 de março, o Ministério da Saúde assinou contrato para receber 10 milhões de doses da vacina, que será importada da Rússia por intermédio da União Química. A previsão é de que as doses sejam entregues ao longo do segundo trimestre, entre abril e junho. O cronograma de entrega do laboratório indica a possibilidade de 400 mil doses até o final de abril, 2 milhões no fim de maio e 7,6 milhões em junho.