O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello foi ouvido nesta quarta-feira, 19, na CPI da Covid-19 no Senado. Em suas respostas, ele negou ter recusado a oferta da Pfizer, mas argumentou que as cláusulas dela eram “assustadoras”. Mesmo amparado em habeas corpus para ficar em silêncio na comissão, o general avisou que não se esquivaria de perguntas. Em inúmeros momentos, ele foi cobrado pelos senadores a dar explicações objetivas e acusou o relator de tentar induzir respostas. Questionado sobre por que classificou como “leoninos” os contratos com a Pfizer, Pazuello disse: “É um valor de pagamento adiantado, estamos falando de assinatura do presidente da República em contrato, coisa que não existe na nossa legislação, e estamos falando de não existirem multas quanto ao atraso de entrega. Da primeira vez que ouvi isso, achei muito estranho”, disse, afirmando que a porta nunca foi fechada para a farmacêutica norte-americana.

A comentarista do programa “Os Pingos Nos Is”, da Jovem Pan, Ana Paula Henkel, acredita que o tempo e o dinheiro que os brasileiros perdem na CPI é absurdo e afirmou que o general estava preparado para responder perguntas enquanto todos esperavam o silêncio dele. “Era para ser aquele dia de carimbar o relatório do Renan Calheiros, do presidente dessa CPI, Omar Aziz, e de tentar colocar um prego no caixão do governo federal, mas foi mais um prego no caixão dessa CPI que virou um circo”, opinou. Para ela, o complemento e a riqueza de detalhes nas respostas incomodaram a oposição, e as perguntas de Renan Calheiros tinham como intuito fazer com que o general “escorregasse” e desse respostas favoráveis ao parecer tendencioso dele. A postura do senador alagoano, que chegou a abrir uma caixa de perguntas em uma rede social pedindo que seus seguidores enviassem questões para Pazuello, também foi criticada por Ana Paula. “Essa é a seriedade. Levando as perguntas que deveriam ser feitas de uma maneira séria, perguntando aos seguidores dele no Instagram”, criticou.

Confira o programa “Os Pingos Nos Is” desta quarta-feira, 19, na íntegra: