O ex-ministro Ernesto Araújo foi ouvido nesta terça-feira, 18, por senadores na CPI da Covid-19. Nas suas falas, ele negou que tenha promovido atritos com a China e reiterou que nunca foi contra a iniciativa do consórcio Covax. Mais de uma vez, Ernesto recebeu ameaças de senadores de oposição, que o avisaram que estava falando sob juramento. Questionado sobre se as declarações do governo brasileiro contra a China atrapalharam a chegada de vacinas no país, o ex-chanceler rebateu. “Não houve nenhum atrito com a China, seja antes ou durante a pandemia, de modo que os resultados que nós obtivemos durante a pandemia, na consecução de vacinas e outros aspectos, decorrem de uma política externa de acordo com nossos objetivos, mas não era uma política de alinhamento automático aos Estados Unidos nem de enfrentamento com a China”, afirmou. O senador Omar Aziz, presidente da comissão, citou artigos e postagens de Ernesto para lembrar que ele estava sob juramento e o ex-ministro lembrou que fez apenas referências a um autor marxista em texto polêmico.

A comentarista do programa “Os Pingos Nos Is”, da Jovem Pan, Ana Paula Henkel, disse acreditar que a CPI da Covid-19 mostra um show de horrores diários no Brasil e considerou que as falas do ex-chanceler foram sóbrias e elegantes diante dos questionamentos dos senadores. “Hoje a gente viu que a ‘CPI da cloroquina’ agora passou para a ‘CPI da China’. Agora você imagina uma pessoa, um parlamentar, um senador, dizendo em relação aos Estados Unidos, como a Kátia Abreu, ‘temos que bajular a China’. Imagina alguém dizendo ‘temos que bajular os Estados Unidos, me deitaria para passarem em cima pelos Estados Unidos’? Seria a terceira guerra mundial nas manchetes dos jornais”, afirmou a comentarista, que criticou o posicionamento de alguns membros da oposição em relação ao país oriental. “A gente está colocando nossa soberania em um segundo plano para uma ditadura, uma ditadura chinesa que oprime, que tem campos de concentração, que desaparece com jornalistas, cientistas, com médicos que questionem qualquer campo em relação ao coronavírus. No entanto, a gente vê nossos senadores ajoelhando para uma ditadura”, criticou.

Confira o programa “Os Pingos Nos Is” desta terça-feira, 18, na íntegra: