Dados da Federação do Comércio de Bens e Serviço e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostram que o setor do turismo no Brasil já perdeu quase R$ 42 bilhões em faturamento em 2020. Se comparado com os resultados do mesmo período do ano passado, a queda foi de 44%. Só em setembro, mesmo com o feriado no dia 7, o setor amargou uma redução de 37,6% no faturamento. Esse foi o pior resultado pro mês desde 2011. O próprio presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) tem alertado que o setor é um dos que mais foram atingidos pela pandemia da Covid-19 e, por isso, defende a necessidade de se retomar as viagens. Na terça, 17, quando se comemorou os 54 anos da Embratur, o presidente da entidade, Gilson Machado, se mostrou confiante na recuperação do setor.

“O Brasil vai sair do buraco. O Brasil vai, sim, ter o turismo como um grande motor da economia, igual ao agronegócio”, disse Machado. O Brasil recebe por ano cerca 6 milhões de turistas, sendo que o objetivo é aumentar significativamente esse número. O turismo internacional ainda não se recuperou. O presidente da Embratur, inclusive, ressalta que hoje o maior entrave para aumentar o número de turistas estrangeiros no país é a dificuldade com a língua, mas ressaltou que é possível no curto prazo tentar pelo menos minimizar esse problema. O governo ontem teve a garantia de que uma grande empresa de cruzeiros marítimos pretende retomar a operação aqui no Brasil. Internamente, o fluxo de turistas já estaria 88% recuperado. Por isso, existe uma expectativa positiva para o fim do ano.

*Com informações do repórter Luciana Verdolin