Os acionistas da empresa de softwares para o varejo Linx aprovaram em assembleia, realizada nesta terça-feira, 17, a venda para a empresa de pagamentos Stone. A decisão foi tomada após a Stone aumentar a proposta na última hora, elevando o valor pago pela Linx. O valor total ficou em 6,7 bilhões de reais. Aproximadamente 97 milhões de ações, equivalentes a votos neste processo, foram favoráveis à venda. Para chegar ao número, os três fundadores, Nércio Fernandes, Alberto Maneche, e Alon Dayan, precisaram votar.

Este foi um dos negócios mais intrincados no ano. A Stone e a Linx blindaram o acordo por meio de multas de desistência e de não-competição, garantindo que foi o único a ser votado na assembleia. A Totvs, outra pretendente, mas que corria por fora, tentou negociar uma alternativa, mas não conseguiu.

Agora, após selada a venda, Stone e Linx dependem de aprovação do Cade para concluir o negócio. Caso não seja bem sucedida a defesa no órgão anti-truste, a Stone deverá pagar uma multa de 453,75 milhões de reais.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade