O CEO da Freddie Mac, David Brickman, renunciou ao cargo, conforme informe a empresa em comunicado na manhã desta sexta-feira, 13, nos Estados Unidos. Brickman estava no cargo desde o ano passado, após seu antecessor, Donald Layton, ter se aposentado. A Freddie Mac, junto da Fannie Mae, é considerada um dos estopins da crise financeira de 2008.

As duas são as maiores securitizadoras de hipotecas nos Estados Unidos. Elas compram os créditos dados pelos bancos, empacotam em novos produtos securitizados e vendem no mercado secundário, financiando novas hipotecas. O desenvolvimento desenfreado desse mercado a partir de empréstimos ruins, conhecida como bolha do subprime, foi o que causou a crise, cujo marco zero é a quebra do então gigante banco Lehman Brothers. Desde 2008, Freddie Mac e Fannie Mae estão sob intervenção do governo americano e trabalham lado a lado com as autoridades do país.

Brickman anunciou sua saída na segunda-feira, 9, justamente no primeiro dia útil após ficarem dirimidas quaisquer dúvidas sobre a vitória do democrata Joe Biden na corrida à Casa Branca. Como as empresas estão sendo controladas pelos Estado americano, provavelmente será a equipe de Biden que decidirá quem será o novo presidente da companhia. Até lá, Michael Hutchins, atual vice-presidente da empresa, assumirá as funções como CEO interino.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade