Diante do aumento do dólar, o Ministério da Infraestrutura decidiu revogar uma portaria que garantia estabilidade anual para o valor em reais do adicional de até 18 dólares que incide sobre as tarifas internacionais de embarque e que é cobrado do turista. O ministério não definiu uma nova regra, o que dá a entender que a conversão cambial da tarifa ficará flutuante.

A regra anterior, estabelecida em dezembro de 2014, previa que a tarifa deveria ser convertida para reais sempre no mês de janeiro respeitando a cotação média do dólar registrada no ano anterior. O valor das tarifas deste ano foram divulgados ainda com base nessa portaria. Assim, tomou como base a cotação média de 3,9461 reais registrada em 2019.

Se essa regra fosse mantida para 2021, o valor do adicional tarifário, considerando a cotação média do dólar até outubro deste ano, seria de 92,42 reais — um aumento de 30%. Com a mudança, será um aumento menor, mas que pode variar e até extrapolar esse percentual caso o dólar dispare, ou ficar abaixo, caso a moeda americana caia. A mudança vale a partir de 1° de janeiro.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade