Dois bancos holandeses estão indo embora de vez do Brasil. O ING e o ABN AMRO estão vendendo o que podem de suas operações e devem entregar as licenças de operação ao Banco Central. Os dois eram voltados para o segmento empresarial e não trabalhavam mais com pessoas físicas. O ABN, que chegou a ser um dos maiores bancos do país após comprar o Banco Real, havia vendido sua operação brasileira para o Santander em 2007, mas voltou ao país em 2012 focado em agronegócio.

Os bancos alegam falta de rentabilidade em suas operações no Brasil. O ING, durante sua divulgação de resultados, afirmou que estava enxugando suas operações e cortando funcionários, em vista à queda de lucratividade em meio à pandemia. As unidades em todo o restante da América Latina e em alguns países da Ásia também serão fechadas. Já o ABN ainda não fez nenhum comunicado até o momento. Circula no mercado que a motivação pode estar na resistência dos acionistas em permitir a manutenção do relacionamento do banco com o agronegócio brasileiro — que está sendo mal visto na Europa.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter