Bruno Covas deve estar surpreso com a competitividade de Marcio França nas eleições paulistanas. O candidato do PSB está embolado com Celso Russomanno e Guilherme Boulos na disputa por uma vaga no segundo turno contra o tucano, o líder das pesquisas até aqui.

A pessoas próximas, Covas profetizava no início da campanha que não via espaço para o crescimento de França, pois Russomanno buscava eleitores da direita e Boulos lutava na esquerda — enquanto ele, Covas, ocupava o centro do tabuleiro político.