A cervejaria holandesa entrou de cabeça no segmento de cervejas sem álcool e a planta onde é fabricada, em Ponta Grossa (PR), já está prestes a ter esgotada sua capacidade de produção. Executivos da companhia entendem que o motivo é a alta demanda pelo produto no Brasil e estão eufóricos com a assertividade da aposta.

Para conseguir crescer rapidamente no segmento, não está descartado um investimento adicional para ampliar a capacidade de produção, disse um porta-voz ao Radar Econômico. O plano para expansão da fábrica, fundada há 25 anos, custou 865 milhões de reais — quase todo revertido para produzir a Heineken padrão.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter