Depois do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) declarar que a prioridade da Casa deve ser a aprovação da PEC do Pacto Federativo, que rearranja os gastos do governo, a Frente Parlamentar da Reforma Administrativa decidiu trabalhar para não perder o ano. Em conjunto com o Centro de Liderança Pública, o CLP, o grupo de congressistas presidido pelo deputado Tiago Mitraud (Novo-MG) começou uma campanha contra os supersalários, aqueles acima do teto constitucional, de 39,2 mil reais.

Os deputados e senadores organizaram uma petição para que um projeto de lei que extingua os penduricalhos pagos a servidores públicos avance no Congresso Nacional. De acordo com o instituto, 65% dos magistrados brasileiros ganham acima do teto. Segundo estudos do relator do texto na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno (Cidadania-PR), a proposta geraria uma economia imediata de 2,5 bilhões de reais.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter