Apesar de afastado, Marcelo Odebrecht não se cansa de tentar voltar a mandar na Odebrecht. Com a sucessão de Ruy Lemos Sampaio, atual CEO do grupo, em discussão, Marcelo alocou todos os seus esforços na tentativa de definir quem será o próximo comandante do que já foi a maior empreiteira do Brasil. Ele tem um nome de preferência. Marcelo quer que Juliana Baiardi, engenheira com formação em Columbia e que atualmente comanda a Atvos — o braço agroindustrial — assuma a presidência da empresa. Internamente, conselheiros veem Baiardi como o “longa manus” de Marcelo no grupo. Por isso, entendem ser muito pequenas as chances dela assumir todo o grupo.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter