O Superior Tribunal de Justiça vai julgar na próxima terça-feira uma ação que discute a forma de correção em condenações civis provenientes de relações extracontratuais — um julgamento que pode impactar cerca de 80 milhões de brasileiros que têm ações de indenização na Justiça.

A discussão, que será feita pela Quarta Turma, definirá se a taxa aplicável nesses casos deve ser a atual – de 1% ao mês (12% ao ano) mais correção monetária – ou a Selic, algo em torno de 2% ao ano, o que pode levar o país a uma enxurrada de revisões de processos no judiciário.

Na prática, caso os ministros decidam pela aplicação da Selic, há a possibilidade de que sejam abertos precedentes para que todas as ações vigentes na justiça brasileira sejam revistas a fim de serem aplicadas taxas menores nas sentenças, criando um cenário de insegurança jurídica.