Fundado há quatro anos no Rio de Janeiro para contribuir com o desenvolvimento do funcionalismo público, o Instituto República.org tem como objetivo aprimorar os mecanismos de atuação de um setor essencial ao país. Para isso, conta com parceiros como a Fundação Estudar, Fundação Lemann e Instituto Ayrton Senna, entre outros, na realização de mais de uma centena de projetos envolvendo funcionários de várias esferas de governo.

É um desafio que ganha nova dimensão dentro das discussões em torno da futura reforma administrativa federal, uma vez que o instituto é o responsável pela secretaria executiva da frente parlamentar que se dedica ao assunto no Congresso. “De maneira geral, se trata o funcionalismo público como problema fiscal, mas a questão vai além disso. Nossa visão é que, corrigidas as distorções que de fato existem, o  funcionalismo é estratégico para para que o governo preste melhores serviços para a população”, explica Eloy Oliveira, diretor executivo do Instituto República.org.

Em meio ao esforço para esclarecer a população sobre a relevância do serviço público, a entidade acaba de lançar um vídeo em que mostra o dia a dia desses profissionais durante a pandemia do coronavírus. O filme, que traz depoimentos de pessoas de várias partes do país, mostra como os servidores não apenas se mantiveram em seus postos de trabalho durante a quarentena que marcou o pior momento da crise sanitária, como também atuaram na linha de frente de combate ao coronavírus.

“A coleta de lixo não parou, os bombeiros não pararam, a polícia seguiu trabalhando, os profissionais de saúde tiveram multiplicada sua carga de trabalho”, diz Oliveira. “Isso é um claro sinal de que as várias esferas de governo e seus funcionários tem um papel essencial no país”.

Continua após a publicidade