O presidente da República Jair Bolsonaro voltou a criticar a gestão do governador de São Paulo, João Doria. Em conversa com apoiadores nesta terça-feira, 27, ele afirmou que o Estado dá “um péssimo exemplo ao país ao aumentar impostos”. Segundo Bolsonaro, o governo dele teve sucesso no combate à crise econômica e não precisou reajustar a carga tributária. “São Paulo aumentou barbaramente os produtos da cesta básica. Está cobrando imposto até do cara com deficiência que quer comprar carro. Uma barbaridade. Nós sim fizemos o que tínhamos que fazer e não aumentamos impostos. O Estado mais importante da economia do Brasil dá esse péssimo exemplo aumentando impostos.”

Em resposta, o governador João Doria afirmou que o presidente segue desinformado. O tucano garantiu que o Estado de SP não promoveu aumento de impostos e pediu que Bolsonaro passe a governar para o Brasil e não pelo que definiu como “interesses políticos e ideológicos”. “O presidente Jair Bolsonaro segue sendo um desinformado. São Paulo não fez e não fará nenhum aumento de imposto, fizemos sim a reforma administrativa que ele, Bolsonaro, deixou de fazer no plano federal. Se ficasse mais preocupado em governar e menos em atacar adversários, ele poderia fazer algo de útil para o país”, rebateu. Ainda durante conversa com apoiadores, Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil recuperou sua credibilidade internacional graças ao trabalho desempenhado pelo governo federal. “O Brasil é um país que resgatou a credibilidade lá fora. A prova está aqui, está vendendo mais, está produzindo mais. Esta é mais uma sinalização que está dando certo a economia nossa”, disse.

Também presente na conversa, o ministro da Economia Paulo Guedes fez questão de afirmar que as previsões estavam corretas e que as medidas adotadas pelo governo já estão mostrando resultados. “A economia está voltando em V como a gente achava que ia voltar. Mês passado, 250 mil novos empregos, como o presidente falou, e 300 mil novas empesas foram abertas”, disse.  Na visão do presidente Jair Bolsonaro, as medidas adotadas por estados e municípios para conter a pandemia da Covid-19, como o isolamento social e o fechamento do comércio, se mostraram desnecessárias e contribuíram para uma baixa na atividade econômica, o que poderia ter sido evitada.

*Com informações do repórter Antonio Maldonado