Em entrevista ao programa Roda Viva na noite desta segunda-feira, o marqueteiro João Santana chamou de “imbatível” uma chapa de esquerda encabeçada por Ciro Gomes, do PDT, tendo Lula como candidato a vice — nos moldes do que ocorreu na Argentina, com Alberto Fernández e Cristina Kirchner. 

A estratégia inclusive já havia sido revelada pelo Radar, que contou como gente graúda no PT estava se mexendo para construir no partido um plano capaz de derrotar Bolsonaro em 2022.

Pois bem. Questionado sobre o cenário aventado pelo responsável pelas vitoriosas campanhas presidenciais de Lula e Dilma Rousseff, o presidente do PDT, Carlos Lupi, evita cantar vitória: “Acho pouquíssimo provável, mas quem sabe. Um gesto deste mexe com todo o tabuleiro eleitoral”.

A conferir se o modelo importado dos hermanos tem futuro por aqui.

 

Continua após a publicidade