O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, comentou, nesta quinta-feira, 22, a questão envolvendo a vacinação contra a Covid-19. Ele lamentou a politização sobre o imunizante, mas afirmou que esse ponto será resolvido. Mourão disse que não acredita que o Judiciário obrigará o governo federal a adquirir possíveis doses de alguma vacina e lembrou que os estados poderão comprar também caso o dinheiro não venha da União. “A posição correta, o ministério já colocou, o diretor da Anvisa já colocou também, qualquer vacina que seja comprovadamente testada e certificada pela Anvisa estará a disposição para ser adquirida. Os estados podem comprar, eles têm recurso também, desde que a Anvisa certifique. A Anvisa só vai certificar o que está comprovadamente testado.”

Mourão fez questão de lembrar que a Coronavac será produzida pelo Instituto Butantan, que tem sede em São Paulo, e apenas os insumos virão da China. “Vamos lembrar o seguinte: a vacina será produzida na Brasil. Lembrem que o ministro Pazuello falou que vacina será produzida onde? No Butantan, vai ser produzida no Brasil. Os insumos é que vem da China”, afirmou. O vice-presidente disse concordar com  hipótese que se considera efetiva em outros países e e não estiver disponível pro aqui, a Coronavac comece a entrar no Brasil ilegalmente.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado