No dia da já famosa operação da Polícia Federal, como insistia em mentir que não tinha dinheiro na cueca, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi obrigado a tirar toda a roupa para os agentes. É o que consta no relatório elaborado pelos investigadores e entregue ao Supremo Tribunal Federal.

“Arguído se mais algum valor estaria ocultado na residência, o senador novamente negou. Contudo, mais valores foram encontrados durante a busca, razão pela qual tomou-se necessária revista íntima mais invasiva, quando se solicitou ao senador que se despisse”, descreveram.

Diante da cena lamentável, nu em pelo, Chico Rodrigues tentou justificar a origem do dinheiro para os federais como sendo da venda de gado. “Alegou ser proveniente de saques efetuados e venda de gado, contudo não apresentou nenhum comprovante de saque, tampouco recibos da venda de gado”, diz o documento. A justificativa foi a mesma para todos os valores descobertos em suas vestes íntimas.

Não é a primeira vez que político pendura a suspeita de corrupção na carne vermelha. O noticiário do Senado está cheio de exemplos famosos, que o diga Renan Calheiros. Em 2013, o ex-presidente da Casa foi denunciado pela PGR por falsidade ideológica e uso de documento falso por apresentar recibos de venda de gado que…não aconteceram.

<span class="hidden">–</span>Reprodução/Reprodução
Continua após a publicidade