O Radar havia informado mais cedo que o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) — flagrado na semana passada escondendo mais de 30 mil reais na cueca — tinha decidido seguir o conselho dos colegas e se licenciar do mandato por 90 dias.

Há poucos instantes, porém, o senador mudou de ideia quanto à extensão desta ausência. Em vez de 90, como havia sido informado à Secretaria-Geral da Mesa do Senado, ficará longe das atividades da Casa por 120 dias.

Com a ampliação do prazo, quem assume a vaga do ilustre senador é o seu suplente…no caso, o filho dele, Pedro Rodrigues. A decisão foi informada ao Supremo Tribunal Federal, que nesta quarta-feira julga o afastamento determinado pelo ministro Luís Roberto Barroso.

“A partir de hoje, portanto, o peticionário, espontaneamente, afasta-se do exercício das funções parlamentares pelo prazo irrevogável e irretratável de 121 (cento e vinte e um) dias, abrindo mão de receber seus vencimentos como Senador da República pelo referido período”, escreveram os advogados na petição encaminhada a Barroso.

Continua após a publicidade