O Ministério da Saúde firmou um protocolo de intenções para a compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, contra a Covid-19, que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan, em São Paulo. A aquisição será feita após aprovação do medicamento pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Nesta terça-feira, 20, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou o acordo em reunião virtual com 24 governadores, incluindo João Doria (PSDB), de São Paulo, onde estão sendo feitos os testes da vacina, produzida pela farmacêutica Sinovac Life Science. Acrescentou ainda que o antígeno será incluído no Programa Nacional de Imunizações.

O governo federal vai editar uma Medida Provisória que prevê o investimento de R$ 1,9 bilhão na aquisição do produto, ainda em fase de testes. De acordo com o ministério, Pazuello pediu ao Butantan os “documentos comprobatórios dos ensaios clínicos já realizados e daqueles em andamento referentes à vacina Butantan-Sinovac”.

A vacina já foi submetida a testes desde o final de julho que comprovaram a sua segurança. Agora, ela está na fase que vai avaliar a sua eficácia, ou seja, qual é o potencial dela para imunizar contra a Covid-19. A expectativa é que a vacinação nacional possa iniciar em janeiro do próximo ano.

Continua após a publicidade